top of page

VEJA TODOS OS MEUS
DIÁRIOS DE VIAGEM

Registrei cada passo das minhas viagens em um grande relato - cada viagem tem um nome especial!

Parc Magique

No mundo dos parques temáticos, existem alguns que podem ser uma verdadeira joia rara escondida. Parques assim não possuem um apelo turístico muito forte e não estão localizados em grandes centros urbanos, fazendo a sua descoberta uma boa experiência. Tematizado de acordo com um tema que não faz parte da história do Brasil, a Idade Média, o Parc Magique se enquadra em tudo que foi dito acima.

Localizado na cidade de Teresópolis (RJ), o Magique já inova por ser um empreendimento único no Brasil, afinal o parque foi construído e pertence ao hotel cinco estrelas Le Canton. Enquanto o hotel traz uma linda arquitetura suíça envolta pelos morros da Serra do Mar, o Magique aposta no lúdico dos castelos, símbolos da Idade Média.

É importante deixar claro que não é preciso estar hospedado no Le Canton para visitar o Magique. Apesar disso, algo muito curioso sobre a minha visita foi o fato do parque estar completamente vazio, em plena sexta-feira. Isso fez com que eu e meus dois amigos tivéssemos o Magique somente para nós durante 1h30min.

Chegamos por volta das 16h ao local, e enquanto esperávamos o Magique terminar de abrir, fomos dar uma olhada na pista de ski do hotel (também vazia). Seu exterior é belíssimo, possuindo a mesma arquitetura do parque. A pista em si tem um tamanho razoável, e tem uma tematização bem legal fazendo uma lembrança às estações de ski europeias.

A ideia do Le Canton foi passar para o visitante que o Magique está protegido por muros de castelo, assim como foi com os feudos na Idade Média. Ao passar pelo portão principal, entra-se em um vão até as roletas de entrada, como num antigo castelo medieval. Nela, é dado um cartão com créditos para poder usar nos jogos eletrônicos e nas máquinas de brindes.

Além dos muros, o Magique inteiro é protegido da chuva graças a três lonas gigantes postas por cima dos brinquedos (com exceção da Roda-Gigante). Durante a visita, tanto a Roda como o Cinema 5D estavam fechados para manutenção.

A tematização do Magique impressiona, e arrisco dizer que é uma das mais bem feitas do Brasil, junto com o Hopi Hari. O Magique te põe rapidamente no clima da Idade Média, com ornamentos nos brinquedos, lampiões, arquitetura típica e adornos. Os brinquedos infantis logo na entrada são uma graça! Gostaria de ter visto algumas crianças para perceber sua reação mediante à aquele ambiente lindo.

Não é só pela sua tematização que o Magique pode ser considerada uma joia rara perdida. Para quem já está acostumado a ir em parques de diversões, o trem-fantasma provavelmente já deve ter se tornado algo completamente sem graça. Porém, um alerta: o Trem Fantasma do Magique vai te fazer mudar de ideia sem dúvida alguma. Uma assustadora gárgula convida à entrada para entrar em um pequeno trem que te levará por cenários completamente escuros, em que prestar a maior atenção possível não te livrará de ser surpreendido.

Me chamou à atenção o trabalho do Magique de ter construído uma pequena cabana ao melhor estilo medieval somente para abrigar um pula-pula e uma piscina de bolinhas. Fica mais do que registrado o cuidado que o Magique tem em cuidar do ambiente.

Cuidado esse refletido na praça de alimentação, que mais parecia uma taverna. Com muitas mesas disponíveis, o Magique vende lanches e bebidas à preços elevados. Vale ressaltar que o ingresso também é demasiadamente inflacionado (para o que o parque oferece) assim como os souvenires.

Outros brinquedos incluíam o Pêndulo, que apesar do tamanho pequeno, pode te dar um terrível enjoo e o clássico Bate-Bate. Aliás, o bate-bate do Magique é bom pelo fato dos carros correrem em um chão magnético, dando mais liberdade para a direção. Todavia, peca pelo seu tamanho.

O horário de funcionamento é mais do que o suficiente para curtir todas as atrações, mesmo não estando completamente vazio com minha visita, eu suponho. Obviamente, o parque não tinha filas. Entretanto, acredito que pelo alto preço e difícil localização, o Parc Magique sofra com a falta de público, principalmente o local. Caso queira ter uma diversão diferente durante a estadia em Teresópolis, o Magique pode ser uma boa opção, porém não recomendo que pague caso tenha alguma atração fechada.


---

Resumão do Parc Magique:

Alimentação: Fast-food e doces.

Como chegar: O Parc Magique fica anexado ao complexo de hotéis Le Canton em Teresópolis. A melhor maneira de se chegar em Teresópolis é de carro ou pegando um ônibus na rodoviária do Rio de Janeiro. A partir da rodoviária, é melhor usar um táxi ou aplicativo de transporte.

Dica campeã: Não deixe de ir com criança! O Parc Magique foi construído quase que exclusivamente para elas!

Filas: tranquilas (-30 min).

Melhores atrações: Bate-Bate, Simulador e Trem Fantasma.

Melhores meses para visitar: Todos.

Preço: Terças e Quintas – 15h às 18h

Sábados – 16h às 21h

Domingos e Feriados – 11h às 17h


VALORES POR PESSOA

– Crianças de 0 a 04 anos e idosos a partir de 60 anos, não pagam!

– Crianças de 05 a 12: R$ 50,00

– De 13 a 59 anos: R$ 60,00

– Moradores da Região Serrana do Rio de Janeiro: R$ 50,00

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


StormRunner.jpg

SE SENTIU INSPIRADO? VAMOS VIAJAR!

Conheça nossa agência de viagens!

Na Scream!, você encontra a forma que mais se adequa para você viajar: seja de excursão ou comprando um pacote! Te falei que dá para montar seu próprio pacote e comprar ingressos para os melhores parques espalhados pelo mundo? Ah, tem mais! Dá para você ter seu próprio roteiro personalizado!

bottom of page