top of page

2021 Axé do Porto Seguro Tour

Porto Seguro

19 de nov. de 2021

Fim de semana na cidade em que Portugal
achou o Brasil em 1500 com parque aquático

A Bahia é um estado brasileiro que sempre me passou a ideia de um verdadeiro paraíso… Durante toda minha vida ouvi as pessoas dizendo que a Bahia tem as melhores praias, as melhores pessoas, a melhor comida (o que para um taurino é maravilhoso…) e que quem vai para lá volta super relaxado. Confesso que ficava muito ansioso para ir a Salvador, mas nunca conseguia despender dinheiro para ir a um destino que não tinha qualquer tipo de parque. 


O Brasil é um país lotado de parques aquáticos, e é uma tarefa muito difícil (e cara!) visitar todos. Existem parques aquáticos de todos os tamanhos em terras brasileiras, desde aqueles que só tem uma piscina de ondas e um toboágua até alguns gigantescos como o Thermas dos Laranjais. Combinei comigo mesmo que vou visitar aqueles que tiverem grandes toboáguas, piscinas de ondas desafiadoras e que claro, estejam em cidades interessantes. Com isso em mente, foi a oportunidade perfeita para finalmente visitar o estado da Bahia, pousando na lendária cidade de Porto Seguro.



Porto Seguro tem quase 500 anos, e é uma das cidades mais antigas do Brasil! A cidade é um estância turística baiana, com aproximadamente 90 quilômetros de lindas praias. Acompanhado de um amigo meu, o Daniel, escolhemos o mês de Novembro para aproveitar a cidade de sexta-feira à segunda-feira. Tínhamos poucos dias, mas estávamos determinados a aproveitar o máximo com o que tínhamos. Às vezes, você precisa viajar quando dá, como naqueles dias que você consegue umas folgas no trabalho ou um pequeno feriado. No nosso caso, estávamos aproveitando o feriadão da Proclamação da República.  



Pousamos no modesto Aeroporto de Porto Seguro no começo da tarde, e o sol pairava pela cidade. Pegamos um Uber, que tem uma cobertura limitada na região, e na curta estrada do aeroporto até o nosso hotel já deu para ver os diferentes tons de azul do mar. Nosso hotel, o Bosque do Porto Praia Hotel, ficava na Avenida Beira-Mar, onde estão os melhores hotéis da cidade. Apesar de longe do centro da cidade, os hotéis dessa região estão em frente à principal praia de Porto Seguro. O Bosque do Porto, especificamente, fica em frente ao complexo de lazer Toa Toa, lugar que tem festas de axé aos fins de semana. Eu sempre ouvi mais músicas internacionais, mas…


Tinha acabado de comprar um abadá para um evento de 4 horas de axé.



A primeira parada foi no Centro Histórico de Porto Seguro, onde a pequena vila foi fundada em 1535 e boa parte de suas construções permanecem em pé até hoje. Era sexta-feira, então o local estava bastante tranquilo e ótimo para andar. Não estranhe a tranquilidade, viu? O centro histórico é composto em sua maioria de residências, e não de lojas! Um dos maiores atrativos do lugar é a vista perfeita do Oceano Atlântico! Não deixe de tirar fotos incríveis, principalmente ao lado da Capela de São Benedito. 





As casas refletem o estilo colonial clássico da época do achamento do Brasil. A rua principal leva até a Praça Pero do Campo Tourinho, onde ficam o Marco Comemorativo do Início da Colonização, a Paróquia Nossa Senhora da Pena (aberta pela manhã e até o meio da tarde) e o Museu de Porto Seguro. Para quem gosta de comprar, lojinhas vendendo ótimos artesanatos estão presentes, além das famosas fitinhas coloridas. Quem visita Porto Seguro precisa comprar algumas e pendurar na murada em frente ao Farol, última parada do centro histórico. Não esqueça de fazer um desejo forte! Depois do desejo, passe nas barraquinhas de acarajé e prove essa maravilha baiana! Sério, fiquei muito apaixonado por essa iguaria! O gosto é muito bom, super agradável ao paladar. Aproveitei e comprei nas barraquinhas itens típicos do Nordeste, como cocada e azeite de dendê.





Voltamos ao hotel para aproveitar um pouco a piscina, e depois seguimos para a Passarela do Álcool, um pedaço da Avenida do Descobrimento lotado de restaurantes e bares. A melhor pedida é pedir um prato de pescado, que são os melhores (vem muita comida!), e o preço varia de 80 a 120 reais por pessoa. Comi no Fashion Bar Restaurante & Grill e tudo estava perfeito! Ao redor do restaurante e por toda a Passarela, ainda tem apresentações artísticas, como o grupo de capoeira local. Depois, corremos para o Toa Toa para aproveitar a noite cheia de axé. O open bar tem duração das 22h até as 23:30! O local serve uma deliciosa caipirinha. A música também é ótima - os artistas que se apresentam se revezam entre DJs e bandas que cantam os maiores sucessos dos baianos.





O preço do Toa Toa é de R$ 80, com variação em algumas datas. O ingresso pode ser comprado no site ou em algum hotel parceiro. Os eventos costumam ocorrer na sexta-feira e possuem um line-up de quatro artistas locais. O evento ocorre das 21h até 04h.



Depois de um ótimo café da manhã tropical no hotel, começamos nossa jornada para a estrela da viagem: O PARQUE AQUÁTICO! Fomos de Uber até o centro da cidade para pegar a balsa para Arraial d’Ajuda, que atravessa o rio Buranhém. A travessia é tranquila, mas cheia de vento! Antes de pegar a balsa, é sempre bom conferir os horários e os preços. 



Ao chegar em Arraial d’Ajuda, tem um monte de vans que fazem o serviço de deslocamento dos distritos de Porto Seguro. Escolhemos a que ia para o parque aquático e partimos rumo à diversão! O Eco Parque Arraial d’Ajuda é um parque aquático para você relaxar! Não espere grandes toboáguas, mas espere um dia de diversão sem compromisso! O parque fica num local super privilegiado, no meio da mata atlântica e à beira da praia principal de Arraial d’Ajuda, a Praia do Mucugê. Deu para passar todo o dia lá, saindo somente quando o parque fechou às 17h. As atrações agradam todas as faixas etárias, com toboáguas radicais e familiares, além de uma bonitinha área infantil. O parque ainda oferece atrações de ecoturismo, como tirolesa, e acesso a Praia do Mucugê. Vale muito a pena!






Depois do parque, seguimos ao centro de Arraial d’Ajuda, andando pelas ruas do distrito e subindo a linda escadaria do centro histórico. O local tem várias casinhas de estilo colonial, com ótimos artesanatos e artigos de praia. Recomendo muito provar os salgados e doces da confeitaria Café da Santa, na praça principal - saí de lá querendo comer todo o cardápio! Os pontos mais visitados são a Igreja Matriz Nossa Senhora D'Ajuda e o Mirante das Fitinhas, onde você pode fazer mais desejo com as fitinhas compradas em Arraial. A vista é de tirar o fôlego, e rende ótimas fotos! 




Para quem curte excelentes restaurantes e vida noturna, a Rua do Mucugê é o ponto principal de Arraial d'Ajuda. Nela, gostei muito da comida do Alecrim Dourado, que tem culinária típica da região e música ao vivo. Bares e boates também estão presentes! O pessoal local diz que o melhor existe por Iá é o Morocha Club, que fica bem no meio da rua. Não deu para ficar até muito tarde porque tínhamos que voltar à Porto Seguro, mas o Morocha estava muito animado - com presença de DJ!




O dia seguinte foi em Trancoso, nosso primeiro passeio com a Pataxó Turismo, empresa de turismo receptivo que nos recebeu na região. Trancoso fica 1h30 longe de Porto Seguro, e é um distrito que conservou sua simplicidade. A parte mais famosa da cidade é o Quadrado, uma praça retangular com lojas chiques e caras, restaurantes de todos os gostos e preços, e hotéis de luxo. Durante o ano, acontecem vários eventos, dentre eles o mais famoso sendo a festa junina da cidade. A Igreja do Quadrado é uma igreja simples como as outras da cidade, e o mirante atrás dela rende boas fotos! 






Trancoso tem várias praias, mas descemos por um mangue até a Praia dos Coqueiros para almoçar na Barraca do Jonas, onde almoçamos um delicioso peixe grelhado. Os preços são elevados, assim como os outros restaurantes de praia de Trancoso: pagamos 200 reais  pelo peixe. Apesar do clima feio, conseguimos aproveitar a praia, de águas quentes e esverdeadas pela quantidade de algas. Não espere água turquesa, viu? A Barraca do Jonas fornece espreguiçadeiras, banheiro e chuveiro para aproveitar a praia com mais comodidade! 




No fim da tarde, retornamos à Porto Seguro e passamos a noite de domingo no hotel, já que na segunda-feira, nosso último, tínhamos que acordar bem cedo para ir até o Parque Marinho do Recife de Fora, a terceira maior plataforma de corais do Brasil com uma área gigantesca de 17,5 km². Para chegar ao Parque, é necessário aproveitar a baixa da maré no início do dia, pegar uma escuna e navegar por aproximadamente 1 hora. No local, o guia explica o trabalho de conservação e preservação, além de mostrar formas de identificação dos seres marinhos. Se você tiver GoPro, vá com a sua para tirar fotos dos peixes! Existem fotógrafos lá que controlam a alimentação dos peixes para você poder tirar fotos com eles (paga), mas a qualidade das fotos não é muito boa.





Depois do almoço no hotel, fomos até o Memorial da Epopéia do Descobrimento na Avenida Beira-Mar, um museu que relata como foi a chegada dos portugueses na região. No museu, estão presentes documentos, instrumentos e elementos portugueses que explicam como foi a jornada de achamento do Brasil. O passeio é guiado e começa pelo Jardim Botânico, e mostra plantas raras e muitas vezes utilizadas pelos ancestrais nativos, ou até mesmo pelos europeus recém chegados, no século XVI e em diante. Você poderá ver um exemplar de pau-brasil, inclusive!





Além disso, você poderá entrar numa réplica de oca indígena e conhecer seus principais utensílios, ver mais do modo de vida dos índios naquela época, e como foram as primeiras relações com os portugueses. O grande atrativo do museu é a Nau Capitânia, uma réplica exata dos navios de Portugal nos anos 1500. Você poderá descer pela escada em espiral, mexer nos canhões, ir até o convés e andar por todo navio! Uma experiência incrível e histórica! O preço varia de R$ 30 a R$ 50, dependendo da demanda para o dia. 





Nos despedimos de Porto Seguro mil vezes mais relaxados de quando chegamos. Apesar do pouco tempo, a cidade baiana jogou muito axé na nossa viagem, permitindo ela ser tranquila e muito divertida! Vá preparado para uma alimentação cara mas gostosa, pequenos trechos de Uber para se deslocar, dinheiro na mão para comprar artesanato e iguarias, e  não esqueça o protetor solar em hipótese alguma! Quero muito voltar à Porto Seguro para poder aproveitar os lugares que não deu para ir por conta dos poucos dias, como a Praia dos Espelhos, Caraíva e Santa Cruz Cabrália. Aliás, a Bahia toda é um grande Estado para se explorar e se encantar! 


Quanto custa viajar para Porto Seguro?

Data: Novembro de 2021

Período: 4 dias

Número de pessoas: 2


Custos:

1) Deslocamentos

Passagem aérea Rio de Janeiro-Porto Seguro: R$ 500 (via GOL - comprada durante o Feirão GOL)

Preço médio de cada deslocamento via Uber: R$ 20 


2) Hospedagem (preço por pessoa, dividido por 2)

3 noites no Bosque do Porto Hotel: R$ 350,00 


3) Ingressos e passeios

Arraial d'Ajuda Eco Parque: R$ 120

Trancoso: R$ 85

Parque Marinho Recife de Fora: R$ 140

Memorial do Descobrimento: R$ 30 


4) Diversos

Comida: R$ 400

Compras: R$ 150


TOTAL (por pessoa): R$ 1.245,00 (custos 1 à 3) + R$ 550,00 (custo 4) = R$ 1.795,00


Roteiro:

19/nov - Chegada em Porto Seguro / Centro Histórico / Passarela do Álcool

20/nov - Arraial d'Ajuda Eco Parque / Centro Histórico de Arraial d'Ajuda / Rua Mucugê

21/nov - Trancoso

22/nov - Parque Marinho Recife de Fora / Retorno ao Rio de Janeiro


​“Eu tento sair da Bahia, mas a Bahia não sai de mim!”

Frase dita por baianos

bottom of page