top of page

VEJA TODOS OS MEUS
DIÁRIOS DE VIAGEM

Registrei cada passo das minhas viagens em um grande relato - cada viagem tem um nome especial!

Beach Park

O sonho de conhecer o Beach Park era um dos meus mais antigos. Me lembro de quando criança ainda, com meus 6, 7 anos ouvir dos meus colegas de escola que tinham ido ao Beach Park e que tinha sido incrível ir no Sarcófago, na Moreia Negra, nos tapetes, e até o nome do Insano eu ouvia. Naquela época, eu não tinha condição financeira de ir ao Beach Park, então só crescia a curiosidade de visitar o parque cearense.

Os anos se passaram e meu amor por parques de diversões inflamado em 2008 com a primeira visita à Orlando, me fizeram continuar acompanhando o Beach Park, e ano após ano eu via que o parque que conhecia quando criança não estava existindo mais. Muito tempo se passou, até que em Dezembro de 2018, com a companhia de um grande amigo meu do Maranhão e de outro grande amigo feito no intercâmbio da Disney, consegui realizar o sonho de ir para Fortaleza e visitar o Beach Park.

O estado do Ceará é lindo. A pluralidade cultural e as paisagens naturais me fizeram apaixonar ainda mais pelo Nordeste. Tive a oportunidade de visitar Canoa Quebrada, um cenário praiano paradisíaco digno dos jogos Forza Horizon, e Jericoacoara, uma pequena vila no meio de dunas tomada pela turismo. O que mais me chamou a atenção foram as diferentes realidades brasileiras que ficavam a poucos quilômetros de distância, assim como nas cidades.

Fotos de Canoa Quebrada


Fotos de Jericoacoara


O Beach Park fica na cidade de Aquiraz, logo depois de Fortaleza. Mais precisamente, na praia de Porto das Dunas, que acabou se tornando lar de uma poderosa rede hoteleira e imobiliária. No complexo Beach Park, fica a Vila Azul do Mar, um centro comercial nos moldes do Disney Springs, com restaurante, entretenimento e acesso livre, de águas fortes e temperatura extremamente agradável! ❤

Foi bem tranquilo para estacionar e entrar no parque. Chegamos cedo, por volta das 8h, para curtir a praia e a Vila. Comprei logo os ingressos, para não ter que pegar filas. Inclusive, filas não foram um problema durante o dia inteiro, o que foi algo extremamente positivo para um carioca que deslocou sonhando com essa visita desde pequeno.

Depois de tirar foto com um golfinho extremamente simpático, fomos direto para o Ramubrinká. Mal sabia que ele seria minha atração favorita do parque! Todos seus toboáguas são extremamente rápidos, e quem leu meus outros relatos, sabe que eu amo velocidade! Além disso, eram extremamente confortáveis. Pensei que ia ralar minha coluna toda, mas isso esteve longe de acontecer. Destaque para o Preto e Azul!

A próxima parada foi a parte baixa do Arrepius. É o complexo de toboáguas mais diferentão do Beach Park e um dos mais divertidos! Ele tem toboáguas para todos os gostos, e não me surpreendeu ser a atração mais procurada do parque naquele dia. O melhor para mim foi a Tigela (roxo-branco), em seguida dos mini-funis (verde-branco).

Mas minha curiosidade maior mesmo eram as cápsulas do Arrepius. Convenci meu amigo-cheio-de-medo a ir comigo e ele adorou! Antes de você entrar, tem um barulho de coração batendo e DO NADA, o chão abre. A experiência é muito louca. Para te frear, vem um monte de água e parece que você está se afogando no meio do toboágua. Assustador, porém iria de novo! Depois de tamanho susto, fui relaxar na piscina de ondas.

Nenhum dos meus amigos queria ir pro Insano, então, lá fui eu sozinho subir o toboágua mais alto do Beach Park. O caminho de subida vazio ao som de uma voz sinistra os alto-falantes só contribuiu para aumentar o terror, mas estava confiante. Acabou que a descida no Insano não tem muita coisa de radical, e foi muito refrescante! (Sério, as cápsulas são piores).

Saindo do Insano, era vez de encarar o Kalafrio. Fiquei meio decepcionado com seu tamanho mas a queda foi MUITO BOA! O airtime dele é bem legal e ficamos um tempinho subindo e descendo na rampa!

Próximo, Atlantis. Esse foi o único toboágua além do Insano que sobrou do Beach Park. Dava até para ouvir Sandy e Junior cantando (quero mais que um, quero mais que mil e mil e um)... A descida no Atlantis é divertidinha, especialmente para toda família e para aqueles que têm medo da altura dos toboáguas.

Aproveitamos um pouco os cenários muito lindos do AcquaCirco antes de ir para o Acquabismo, uma pista de corrida patrocinada pela Avianca. Fiquei extremamente raivoso porque perdi a corrida. Aff.

Um dos meus amigos medrosos amou o Hupa&Hopa. Não parava de ir um só segundo! 😂 Ele é igualzinho ao WaterBomb do Wet'n Wild e só é recomendado para quem sabe nadar por conta da piscina de 2m de profundidade.

Para fechar com chave de ouro nosso circuito de toboáguas, fomos no Vaikuntudo. QUE TOBOÁGUA SENSACIONAL! Completamente superior ao seu primo Vortex em São Paulo, o Vaikuntudo tem umas forças absurdas nas curvas, e a boia vai em todas as direções na hora da descida!

Sobre o Vainkará, absolutamente ninguém no parque sabe quando a atração retornará. É absoluto sigilo. Entretanto, sabe-se que o Beach Park já está preparando uma nova atração para substituir os danos causados pelo Vainkará.

Era apenas 13:30 e já tínhamos feito todo o parque. Ponto muito positivo para o Beach Park! Já estava preparado para os altos preços, mas confesso que não achei o valor pago no combo tão alto assim para a qualidade que era. Acho que foi o melhor lanche que já comi em um parque de diversões no Brasil.

O Beach Park tem atrações exclusivas para pequenos, assim como shows que eles amam, que exaltam os próprios personagens do parque. Inclusive, ao final do dia, recreadores do Beach Park roubaram a cena na hora de se despedir dos visitantes.

Como de praxe, esperei todo mundo ir embora para poder sair do parque. Fiquei na piscina de ondas até me expulsarem de lá, assim como do parque. Pude assim tirar fotos do parque sem ninguém. Um paraíso, realmente.

Uma vez que você é Custodial na Disney, nunca parará de tirar fotos com latas de lixo


Voltei para Fortaleza com um sorrisão no rosto. Havia realizado meu sonho da melhor maneira possível. Fiquei tão feliz que até comprei ingressos para assistir o musical Ceará Show, idealizado pelo próprio parque em cartaz num teatro em Fortaleza. Vale muito a pena! O musical tem uma trilha sonora linda que conta e exalta a força das lendas cearenses e do povo nordestino.

O dia no Beach Park foi memorável e não vejo a hora de voltar para curtir ele de novo! O parque dá uma aula de turismo e serviço para todos os outros empreendimentos que pude visitar aqui no Brasil. Que continue assim por muito e muito tempo! ❤


---

Resumão do Beach Park:

Alimentação: Fast-food e restaurantes com sistema de buffet (self-service). Meu lugar favorito para comer foi a lanchonete com fast-food simples perto dos vestiários e embaixo do Arrepius. Recomendo almoçar por volta das 14h.

Como chegar: O aeroporto mais próximo é o de Fortaleza (FOR). Para chegar ao parque, é recomendável ir de carro ou Uber.

Dica campeã: O Beach Park é um parque bem pequeno e retangular. Comece da direita para esquerda! Outro (pequeno e importante) detalhe: O Insano não é tão insano assim! A descida é tranquila! Não deixe o medo te paralisar!

Filas: tranquilas (-30min) a moderadas (+60min). Dê preferência em chegar ao parque pela manhã cedo e correr para o Ramubrinká.

Melhores atrações: Insano, Vaikuntudo e Arrepius.

Melhores meses para visitar: Abril a Junho e Outubro a Dezembro.

Melhor ordem de brinquedos dentro do parque: Ramubrinká / Atlantis / Kalafrio / Vaikuntudo / Insano / ALMOÇO / Acquabismo / Hupa & Hopa / AcquaCirco / Arrepius / Maremoto

Preço: R$ 215,00 (1 dia) / R$ 350,00 (3 dias)

79 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


StormRunner.jpg

SE SENTIU INSPIRADO? VAMOS VIAJAR!

Conheça nossa agência de viagens!

Na Scream!, você encontra a forma que mais se adequa para você viajar: seja de excursão ou comprando um pacote! Te falei que dá para montar seu próprio pacote e comprar ingressos para os melhores parques espalhados pelo mundo? Ah, tem mais! Dá para você ter seu próprio roteiro personalizado!

bottom of page