top of page

VEJA TODOS OS MEUS
DIÁRIOS DE VIAGEM

Registrei cada passo das minhas viagens em um grande relato - cada viagem tem um nome especial!

SeaWorld San Diego

O mundo mágico de Disney não foi o único que começou na Califórnia. A rede SeaWorld inaugurou seu primeiro parque na cidade de San Diego em 1964, e desde então, virou uma das maiores redes de entretenimento nos Estados Unidos. Nos dias atuais, o local ainda preserva seu conceito inicial de ser muito mais um lugar de estudos e pesquisas do ambiente marinho do que um parque temático cheio de brinquedos.

A entrada do SeaWorld estava decorada no ritmo da celebração de 50 anos do parque, e consequentemente da rede. É possível ver em todos os lugares as ações promocionais da campanha #SeaWorldCares, que mostra o esforço da companhia em dialogar com o ambiente marinho, fazendo trabalhos de salvação, recontato dos animais cuidados com o mar e pesquisas sobre seus comportamentos.

Após passar por filas curtas e tranquilas, dá-se de cara com o Explorer's Reef, um aquário cheio de peixes-limpadores. Essa espécie se alimenta de parasitas microscópicos e detritos que se acumulam nos oceanos. É permitido uma interação com esses peixes ao colocar a mão dentro de sua área de nado. Apesar de ser bem divertido, o SeaWorld guarda atrações muito mais emocionantes e educativas.

Caso vá em meses como Julho ou Dezembro, é indispensável o uso do Quick Queue, sistema de fura-fila dos parques SeaWorld, para ter uma visita sem problemas com fila. Existem duas versões do sistema: a normal (US$ 19), onde o benefício só acontece nos brinquedos e a Premier (US$ 29), que inclui os brinquedos e lugares reservados nos shows.

O layout do parque é confuso e pode ser muito fácil de se perder, sendo assim, o uso do mapa é indispensável. A primeira parada da visita é a montanha-russa Manta, bem diferente da versão em Orlando! Em Orlando, quem encara a Manta tenha a incrível sensação de voar. Já na versão californiana, os passageiros vão sentados e são submetidos a três seções de lançamento em alta velocidade (70 km/h), além de quedas inesperadas, gerando um bom airtime. A Manta não atinge grandes alturas nem possui inversões, sendo diversão para toda família.

O aquário de arraias e animais similares localiza-se bem ao lado da entrada da montanha-russa. Nele, é possível alimentar as arraias Bat ray e aprender sobre preservação desses animais no oceano. Continuando na onda das criaturas marinhas, é recomendável se dirigir ao Dolphin Stadium para a apresentação do espetáculo Dolphin Days. Os artistas que acompanham os golfinhos-nariz-de-garrafa, as araras e as baleias-piloto promovem bonitas cenas de companheirismo e amizade com os animais. O grande problema dos estádios do SeaWorld San Diego já é perceptível no Dolphium Stadium: falta de cobertura. No calor da Califórnia, esperar e assistir o show acaba se tornando completamente desagradável, portanto, invista em um chapéu.

A adrenalina retorna na montanha-russa aquática Journey to Atlantis, única do tipo na Califórnia. Tematizada de acordo com a cidade perdida de Atlântida, possui boas quedas que inevitavelmente deixam todos encharcados! O diferencial dessa atração é que após a sua primeira queda, o lift para continuar o percurso é totalmente no escuro e meio... balançante.

Um pouco à frente do Journey to Atlantis, a atração Wild Artic oferece uma oportunidade de ver os principais animais da região do Oceano Ártico: urso polar, morsa e belugas. Essa atração oferece a opção "sem emoção", que é somente uma caminhada pelas exibições de cada animal, e a opção "com emoção", em que um simulador ultrapassado precede à caminhada. Apesar de ser antigo, pode divertir os menos exigentes com seus solavancos. À sua esquerda, os animais mais famosos da Antártida estão espalhados pelo Penguin Encounter.

O SeaWorld San Diego oferece 20 locais de alimentação, entre eles lanchonetes e restaurantes. Almocei no Cafe 64, que abrigava um museu do parque e da rede. As opções não eram muitas, sendo essencialmente diferentes tipos de sanduíches com batatas-fritas. A qualidade da comida não deixou a desejar, mas caso queira uma escolha mais requintada, é recomendável reservar no Guest Services uma refeição no Dine with Shamu (serve almoço e janta). No local é possível ver, enquanto come, as orcas sendo cuidadas.

Por falar em orcas, a melhor opção para depois do almoço é o grande espetáculo do SeaWorld San Diego: Orca Encounter. No maior estádio do parque, as orcas pulam e dão piruetas no ar a todo o momento, causando a vibração de toda a plateia. Um dos destaques da apresentação foi a presença de uma orca bebê acompanhada de sua mãe. As duas não se desgrudavam! O grande momento foi quando as orcas nadavam e com suas barbatanas jogavam água nas pessoas que estavam mais próximas ao corpo aquático.

Caso queira se aproximar das orcas e entender mais sobre como é a vida delas no SeaWorld, vá até o Shamu's Underwater Viewing, localizado bem na lateral do estádio. Aproveite também para ver os golfinhos no Dolphin Point, um lago onde também é possível ter uma interação com eles por US$ 60, e as lontras no Otter Outlook.

Na frente da outra extremidade do Shamu Stadium, um barco encalhado dividido ao meio anuncia o river rapids Shipwreck Rapids, uma bela opção para vencer o calor californiano. Ao final da área, está o Cirque Stadium, localizado à beira da Mission Bay, a principal baía de San Diego. Nele, é apresentado o espetáculo circense Cirque de la Mer (somente no verão).

Ao lado do estádio está o Bayside Skyride, um teleférico que cruza um pequeno pedaço da baía. Próximo dele, o Mission Bay Theater exibe o Summer Vibes, um show que reúne artistas de TV que performam músicas junto com coreografias. Um pequeno brinquedo giratório, o Riptide Rescue, representa o quão turbulenta pode ser uma viagem de resgate ao oceano.

Como dito, o SeaWorld San Diego concentra mais em ser um local de pesquisa da vida marinha do que um parque lotado de brinquedos. Assim, certos aquários e exibições só é possível encontrar no parque da Califórnia, como o Freshwater Aquarium, que reúne somente animais de água doce. Na sua frente, o Sea Lion and Otter Stadium exibe o Sea Lion LIVE!, um espetáculo ao estilo cinematográfico com leões marinhos lotado de comédia. A oportunidade para alimentá-los encontra-se no Pacific Point.

Um símbolo dos parques SeaWorld, a Sky Tower leva os visitantes a quase 100 metros de altura, oferecendo belas vistas do parque, da Mission Bay e do centro de San Diego. Em frente à ele, a Sesame Street Bay of Play oferece uma quantidade ínfima de apenas 3 brinquedos infantis, além da possibilidade de tirar fotos com os personagens da Vila Sésamo.

No Animal Connections, é possível ver vários animais, como porco espinho, capivaras, lagartos e cobras, e aprender sobre como funciona sua alimentação, ações na natureza e preservação. A parte "fora d'água" do SeaWorld continua no Pets Stadium, onde um espetáculo, o Pets Rule!, com cães, gatos e aves ganha vida.

O SeaWorld San Diego é um belo parque, com jardins muito bem cuidados aliados à muitas árvores e áreas de descanso. A visita pode se tornar cansativa visto a confusão que é o layout do parque, porém, por ser pequeno, isso acaba sendo um pouco amenizado. Sua infraestrutura e conservação revelaram-se impecáveis.

Graças as exibições, durante minha visita não foi percebido nenhum problema em relação à filas ou lotação, não prejudicando o fator diversão. O horário de funcionamento do parque (9:00 às 22:00) é mais do que suficiente para conhecer todas as atrações.

Os preços do parque são de bom custo/benefício. Notei somente uma pequena inflação nos preços das interações com os animais. O SeaWorld San Diego é um ótimo lugar para toda família passar o dia aprendendo muito sobre a vida animal marinha e criando divertidas memórias nos brinquedos.


---

Resumão do SeaWorld San Diego:

Alimentação: Fast-food e restaurantes de buffet (self-service). Meu lugar favorito para comer é o Mama Stella's Pizza Kitchen, localizado em frente à SkyTower. As pizzas são deliciosas!

Como chegar: O aeroporto mais próximo é o de San Diego (SAN), entretanto o parque fica apenas a 2h de Los Angeles (LAX). Caso fique hospedado em San Diego, prefira um Uber ou vá de carro, mas caso fique hospedado em Los Angeles, considere pegar um trem/ônibus ou vá de carro. Uber acaba se tornando uma opção cara.

Dica campeã: Opte por fazer as montanhas-russas Manta, Electric Eel e Emperor primeiro no seu dia. Em seguida, faça os shows, caso goste.

Filas: tranquilas (-30min) à moderadas (+60min).

Melhores atrações: Electric Eel, Emperor e Manta.

Melhores meses para visitar: Maio, Junho, Setembro e Outubro.

Melhor ordem de brinquedos dentro do parque: Emperor / Journey to Atlantis / Electric Eel / Wild Artic / Penguin Encounter / Dolphin Days / Shark Encounter / ALMOÇO / Manta / Tidal Twister / Shipwreck Rapids / Orca Encounter / Skytower

Preço: US$ 95,00

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Valleyfair

Comments


StormRunner.jpg

SE SENTIU INSPIRADO? VAMOS VIAJAR!

Conheça nossa agência de viagens!

Na Scream!, você encontra a forma que mais se adequa para você viajar: seja de excursão ou comprando um pacote! Te falei que dá para montar seu próprio pacote e comprar ingressos para os melhores parques espalhados pelo mundo? Ah, tem mais! Dá para você ter seu próprio roteiro personalizado!

bottom of page